Colóquio sobre tradução e edição

Será a relação entre tradutores e editores uma relação de igual para igual? Será que os editores reconhecem o trabalho dos tradutores? Que controlo exercem sobre eles? O que pensam, uns e outros, do debate surgido a respeito da tradução dos poemas de Amanda Gorman?

Há muito mais perguntas no ar, e todas elas podem ser feitas no dia 28 de outubro na Fundação Saramago. O diálogo centrar-se-á nas diferentes relações que se estabelecem entre o mundo da tradução e da edição, como se intersetam e como se relacionam no contexto fronteiriço geográfico e linguístico da Península Ibérica. Um colóquio no qual as diferentes personalidades participantes, com um percurso profissional de excecional qualidade, irão partilhar o seu trabalho e experiência com os ouvintes.

Uma mesa redonda moderada por Pilar del Río, diretora da Fundação Saramago, na qual participarão profissionais do mundo editorial de Portugal e Espanha; tradutores e editores reunidos à mesma mesa, para saberem o que pensam e o que esperam uns dos outros.

Participantes:             

Alfonso Armada

Antonio Sáez

Maria do Rosário Pedreira

Miguel Filipe Mochila

Moderação de: Pilar del Río

 

Alfonso Armada (Vigo, 1958) é jornalista. Diretor da revista digital fronteraD, fez a cobertura do cerco de Sarajevo e do genocídio de Ruanda. Foi subdiretor da revista teatra, correspondente do jornal El País em África durante cinco anos (de 1994 a 1998) e correspondente do Abc em Nova Iorque (de 1999 a 2005). É presidente da secção espanhola de Repórteres Sem Fronteiras. Entre os livros que publicou, figuram os seguintes:  Cuadernos africanos; España, de sol a sol, e El rumor de la frontera. Viaje por el borde entre Estados Unidos y México (os três publicados pela Península, os dois últimos com fotografias de Corina Arranz); Nueva York, el deseo y la quimera (Espasa); Diccionario de Nueva York (Península); Mar Atlántico. Diario de una travesía (Alento, com fotografias de Corina Arranz); El sueño americano. Cuaderno de viaje a la elección de Obama (Ediciones del Viento); Sarajevo. Diarios de la guerra de Bosnia (Malpaso, com fotografias de Gervasio Sánchez); El Celta no tiene la culpa (Libros del K.O.) e Por carreteras secundarias (Malpaso, com fotografias de Corina Arranz).

Antonio Sáez Delgado (Cáceres, 1970) é professor de Literaturas Ibéricas Comparadas, de Literatura Espanhola e de Tradução Literária na Universidade de Évora. Deu palestras e cursos como professor convidado em universidades de mais de uma dezena de países. É especialista nas relações literárias entre Espanha e Portugal no início do século XX, tema a que dedicou várias monografias e inúmeros artigos. Traduziu, para espanhol, obras de José Saramago, Fernando Pessoa, António Lobo Antunes, Fialho de Almeida, Teixeira de Pascoaes, Almeida Faria, Mário de Carvalho, Manuel António Pina, José Gil, Gonçalo M. Tavares, Valter Hugo Mãe ou José Luís Peixoto, entre outros.

Maria do Rosário Pedreira (Lisboa, 1959). Estudou na Universidade Clássica de Lisboa, onde se licenciou em Línguas e Literaturas Modernas, uma variante dos Estudos Franceses e Ingleses. Após um breve período na docência, que a levou a escrever para o público juvenil, entrou na carreira editorial e atualmente é editora de literatura portuguesa. A sua obra literária começou pela literatura juvenil, com duas coleções que foram adaptadas para televisão e venderam cerca de um milhão de exemplares. Embora tenha publicado um romance e narrações dispersas em revistas e antologias, é principalmente conhecida como poetisa, tendo publicado quatro livros, agora reunidos num volume com o título Poesia Reunida galardoado com o Prémio da Fundação Inês de Castro.

Miguel Filipe Mochila (Évora, 1988), professor na Universidade de Porto Rico ao abrigo de um convénio com o Instituto Camões de Portugal, pesquisador em Estudos Ibéricos no Centro de Estudos Comparatistas (Universidade de Lisboa) e na Cátedra de Estudos Ibéricos da Universidade de Évora, poeta e tradutor. Traduziu, para português, obras de autores ibéricos como Luis Cernuda, Blas de Otero, Ángel González, Claudio Rodríguez, Joan Margarit, Luis Alberto de Cuenca, Gemma Gorga, Javier Marías, Luis Landero ou Jaume Cabré, e de autores ibero-americanos como Leopoldo Lugones, Roberto Arlt, Julio Cortázar, Adolfo Bioy Casares, Silvina Ocampo, Ernesto Sabato, Juan José Arreola, César Aira ou Samanta Schweblin.

Pilar del Río nasceu em Sevilha, Espanha, mas tem nacionalidade portuguesa. Foi jornalista e tradutora. Atualmente preside à Fundação José Saramago, com sede em Lisboa, e cuida da casa e biblioteca de José Saramago em Lanzarote.

28 de outubro de 2021 | Fundação Saramago (Lisboa)


DISCIPLINA
COLOQUIOS

QUANDO
28/10/2021
18:30h

ONDE
Fundação Saramago
Casa dos Bicos
Rua dos Bacalhoeiros, 10
LISBOA

BILHETES
Grátis

SITES
Fundação Saramago

COLABORAM
Fundação Saramago

© 2021-Ministério da Cultura e Esportes, Todos os direitos reservados – Condições de utilizaçãoPolítica de privacidadePolítica de uso de cookies. Web design por Accionlab

This site is registered on wpml.org as a development site.